Suspeitas por vazamento de óleo no Nordeste permanecem inconclusivas

[elementor-template id=”1037″]

De acordo com a pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), 23% da população brasileira considera a Venezuela culpada pelo derramamento das manchas de óleo que atingiram o Nordeste do país, seguida do Governo Federal (13%), empresas estrangeiras (8%) e Petrobras (7%). Os dados foram publicados na coluna da Mônica Bergamo, na Folha de SP. Os dados refletem a desinformação sobre o assunto, que já apresenta suspeitas, mas permanece inconclusivo.

O Bereia localizou matérias que atribuem a culpa à Venezuela, em sites e perfis religiosos. Por isso, seguimos acompanhado o desdobramento do caso e a repercussão no noticiário cristão.

Segundo informações da Polícia Federal, divulgadas na última sexta-feira (01), para averiguar as causas a PF montou a Operação Mácula que envolve instituições como a Marinha do Brasil, Ministério Público Federal (MPF), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Agência Nacional do Petróleo e as universidades da Bahia, Ceará e de Brasília. Quanto às causas do derramamento do óleo, as investigações seguem em andamento para descobrir se o vazamento é de origem criminosa ou acidental.

Já a Marinha divulgou em nota que a suspeita é de um navio tanque de bandeira grega que transitava no local onde surgiu a mancha através de estudos. As imagens foram identificadas nas imagens via satélite, obtidas por meio de estudos de geointeligência. A embarcação transportava óleo cru proveniente do Terminal José, na Venezuela e seguiu com destino à África do Sul.

No entanto, a empresa Delta Tankers, responsável pelo navio, informou em nota (no último dia 02 de novembro) que o navio partiu, em 19 de julho deste ano, rumo à Malásia, local onde desembarcou todas as cargas e durante o trajeto não houve alteração nas rotas, paradas ou algum tipo de vazamento de óleo. A companhia disse ainda que disponibilizará material para investigação e reitera que não foi procurada pelas autoridades brasileiras.

De acordo com todas as análises feitas até o fechamento desta matéria, o resultado segue inconclusivo. Enquanto isso, circula nas redes sociais comentários como este ao lado (twitter @patriotasbr_), curtido pelo presidente Jair Bolsonaro.

Ainda não checamos essas informações, mas esse esquema explicativo guarda semelhanças com as explicações dadas pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, durante a audiência sobre o óleo no Nordeste, realizada no dia 6 de novembro e publicada pela Folha de São Paulo.

“Grande parte dos problemas enfrentados sobre materiais ou dificuldades orçamentárias decorre de uma coisa: nós recebemos um estado quebrado. Quebrado graças às políticas cujos alguns partidos estão representados aqui [na Câmara], que resultaram inclusive na prisão do presidente Lula e de tantos outros líderes políticos dessa corrente doutrinária. Foi esse histórico, não só na parte do óleo, mas também na de Brumadinho, e certamente em tantas outras estruturas governamentais destruídas por essa visão equivocada de mundo. E por esse comportamento comprovadamente corrupto —tanto que o presidente [Lula] está preso— que nós tivemos a situação toda que nos levou a essa situação atual. Isso claro, sem querer politizar.”

Ricardo Salles

Das três checagens realizadas até o momento, além das possibilidades de identificar o culpado serem inconclusivas, é recorrente sugerir a aproximação do crime ambiental com a Venezuela, Greenpeace e o Governo do PT.   Seguimos acompanhando essa pauta.

Referências de checagem:

https://www.marinha.mil.br/sites/default/files/nota_a_imprensa_-_inquerito_oleo_1-1.pdf
http://www.deltatankers.gr/ http://www.pf.gov.br/imprensa/noticias/2019/11/policia-federal-deflagra-operacao-que-visa-esclarecer-derramamento-de-oleo-no-litoral-brasileiro
https://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/em-audiencia-sobre-oleo-no-nordeste-salles-coloca-a-culpa-no-pt-por-fragilizacao-dos-orgaos-ambientais/
twitter: @patriota

4 Replies to “Suspeitas por vazamento de óleo no Nordeste permanecem inconclusivas”

  1. Avatar

    vcs não são sérios! é sério mesmo q nenhum laudo técnico identificou que o óleo é venezuelano?

    o que é inconclusivo é por quem ou se foi criminoso!

  2. Avatar

    ahhh os comentários aqui são deletados tb! vcs realmente são muito sérios!! rs

    1. Avatar

      ops, nesse caso foi falha do site, após postar novamente, apareceu o anterior.

    2. Alynne Sipaúba

      Marcos, bom dia!
      Não são deletados, são aprovados.
      Se forem comentários que discordem com respeito, sempre aprovaremos. Mas se vierem para denegrir, sem proposta de crítica construtiva, melhor não prolongar o desgaste.

      Abs,

Comments are closed.