Queres ser perfeito… Fecha a tua igreja e segue-me!

Antes de falar sobre o título, vou contar como chegamos aqui. Circula em grupos religiosos, no WhatsApp, um MEME que faz a associação entre COVID-19 e JOSUÉ 1:9. A mensagem diz: “Seja forte e corajoso! Não fique desanimado, nem tenha medo, porque eu, o SENHOR, seu Deus, estarei com você em qualquer lugar para onde você for”.

Problemas exegéticos e teológicos do meme

Em geral, os memes são mensagens curtas, viralizadas em rede. Não são conhecidos por sua profundidade, análise, acurácia, ou qualquer outro valor aplicado a outras formas de comunicação. Não requerem interpretação, nem exigem maiores explicações. Sem pensar, as pessoas os disseminam – como se fossem, de fato, “vírus das mentes”.

Esse é o primeiro problema nesse e em outros memes evangélicos – há problemas exegéticos e teológicos em todos eles. Muitos, como o desse caso, pinçam versículos que são tomados fora de contexto. E “um texto, fora de seu contexto, pode ser pretexto”…

O texto de Josué 1.9 tem se tornado um mantra para um tipo de “evangelho de autoajuda”. Seja forte e corajoso! Vai dar tudo certo! Deus é contigo! É a mensagem geral, associada a este versículo. Porém, se a mensagem do SENHOR se limitasse a um “TAMO JUNTO”, “estou contigo”, como explicar que em Josué 7, os israelitas tenham sido derrotados? Deus mandou Josué para a luta e depois o abandonou? Quando os crentes enfrentam derrotas e crises, o que ocorre?.

A pandemia e as pestes na Bíblia

Uma outra abordagem bíblica exigira um estudo sobre as ”pestes”. Há textos como o Salmo 91, sendo utilizados pelas comunidades evangélicas e cristãs em todo o mundo. Esquecem, os irmãos e irmãs que assim o fazem que o tentador utilizou parte desse Salmo em sua investida contra Jesus (Mateus 4. 6, Lucas 4. 10-11). Cristo venceu o adversário de nossas almas com uma visão completa sobre a Vontade de Deus e as Escrituras. Anote isso: quem cita partes da Bíblia, sem os contextos, tem compromisso com a Verdade?

Além das dez pragas contra o Egito (Êxodo, capítulos 7 a 12), as pestes na Bíblia sempre são associadas ao juízo de Deus (o julgamento contra reis, nações, civilizações e a humanidade). É assim do Gênesis (Gn 12.17) ao Apocalipse (Ap 2.22). Ou seja, há um caráter pedagógico e correcional nas pestes. Logo, qualquer análise sobre a Covid-19 sem levar em conta nossa relação com Deus, com a humanidade e com a Criação, é uma análise parcial e tendenciosa.

Tem alguém aí com medo?

Uma irmã, querida e próxima, perguntou-me, quando fechamos a Igreja, entregando o imóvel alugado, em abril de 2020: “Pastor, o Senhor está com medo?” Eu tinha acabado de perder um amigo, crente e fiel, por causa da Covid-19. Respondi, simplesmente: “não estou com medo, estou triste”. Diante de mais de 180 mil famílias afetadas pelo luto, a pergunta sobre o medo é uma das piores respostas que podemos dar… Pior, a questão da Covid-19 não é uma questão de coragem e fé. Há algo ainda mais profundo…

Nesse momento, ficou claro para mim que as igrejas e os pregadores e pregadoras estão respondendo errado ao problema. Não é uma questão de medo. O “evangelho da autoajuda” nos fragilizou e individualizou tanto que, se estivéssemos nos tempos de Josué, responderíamos à derrota em uma batalha questionando Deus, Josué e a nós mesmos sobre o tamanho de nossa coragem e fé. E você conhece a história de Acã. Não é uma questão de coragem, não é um problema de crenças, é algo maior, não se trata de você, ou de sua vida emocional. Podemos dizer que, como na conquista da Terra Prometida, a Pandemia nos coloca diante do Juízo de Deus, diante de seus padrões éticos. Logo, a verdadeira questão é “estamos sendo pesados na balança”.

Mateus 19.19 – Honra teus pais e ama teu próximo

Em toda a Bíblia, Deus nos mostra que os padrões éticos das Escrituras são cruciais. É assim que Deus julga indivíduos, reinos, nações e civilizações. Há um padrão de justiça social e individual, do qual não podemos escapar. Por isso, para ajudar a memorização, dizemos que a questão da Covid-19, não é respondida por Josué 1.9. Não podemos e nem devemos, porém, nos tornar seletivos, na escolha das passagens que gostamos, ou que nos fazem bem. Deus proferiu Josué 1.9, associando sua promessa aos mandamentos. Como se ELE nos falasse: faz a tua parte, EU farei a minha.

Há várias passagens bíblicas que demonstram os termos de nossa relação com Deus, entrelaçando mandamentos, fé e obras. Entre elas, uma passagem do Evangelho: Mateus 19.19 (vou repetir os números para que você entenda COMO a Covid-19 nos coloca diante de um imperativo ético).

Em Mateus 19.19 um jovem, rico, com alta posição social, dono de muitas propriedades, posses, bens e com reconhecimento social, um cidadão “abençoado”, questiona o Salvador. Voltado para si mesmo, o jovem pergunta: O que “farei EU de bom, para ALCANÇAR a VIDA ETERNA”?

Cristo respondeu àquele jovem rico: Guarda os mandamentos.

O cuidado de si, o cuidado do próximo, a honra devida aos idosos (pais, mães, avós, bisavós) é algo que está nos mandamentos. A Pandemia nos coloca à prova justamente neste ponto: como temos cuidado da criação? Como cuidamos do próximo? Qual a prova que Deus está nos dando?

Cristãos de hoje, tão soberbos e egoístas quanto aquele jovem rico são confrontados com a Palavra de Jesus: ó Crente, desapega, acumula tesouros nos céus, cuida do próximo e segue-me.

Em outras palavras: fecha a tua igreja, cuida das pessoas, tira o foco da economia e prosperidade.

Estamos sendo provados.

Onde está a caridade cristã?

Como temos honrado nossos pais?

Quais são os nossos valores?

Temos acumulado tesouros nos céus?

São as perguntas que nos ocorrem, para avaliarmos a nossa resposta cristã à Pandemia.

Não é sobre você (e sua fé) que se trata. Mas de como você cuida dos vulneráveis e se você ama o seu próximo…

É imprecisa a notícia de que China demole igrejas para conter o avanço do Cristianismo

[elementor-template id=”1462″]

No dia 05 de junho, o site Gospel Mais publicou a seguinte matéria: “China faz demolição de igrejas à medida que o cristianismo avança, diz relatório”.

O trecho da matéria de Gospel Mais afirma que: “Segundo o membro de uma igreja local, que foi demolida no dia 27 de abril, na província de Jiangxi, essa perseguição é por causa do aumento do número de pessoas que aceitam a Jesus Cristo como único e suficiente Salvador”.

A matéria traz como fonte uma publicação no site da Barnabas Fund.. Por sua vez, a publicação da Barnabas Fund leva a outra publicação, feita em 05 de maio de 2020, pelo site Bitter Winter.

Bitter Winter é uma revista digital sobre liberdade religiosa e direitos humanos na China, publicada diariamente em oito idiomas pelo Centro de Estudos sobre Novas Religiões – CESNUR. A revista recebe alguns de seus relatórios diretamente de membros de minorias religiosas e organizações perseguidas na China. Na página de descrição do site, o Bitter Winter se diz um projeto independente de qualquer organização religiosa ou política e fruto de trabalho voluntário.  

A matéria do Gospel Mais também cita um suposto “relatório” na manchete, mas não há no decorrer da matéria nenhuma menção a relatório que comprove as informações veiculadas. As fontes utilizadas pelo Bitter Winter e reproduzidas pelo Gospel Mais são de supostas testemunhas locais não identificadas. Também não há um jornalista responsável pela matéria, segundo o site por motivos de segurança. 

Bereia checou as informações publicadas por Gospel Mais e nenhuma notícia ou fato semelhante foi divulgado por agências de notícias internacionais ou veículos de comunicação nacionais ou estrangeiros. Destruições ou demolições  de igrejas não foram reportadas nas datas citadas. Referências à demolição de igrejas na China são encontradas apenas em publicações no início de 2018:

Publicação no site da revista Veja, em 11 de janeiro 2018, tendo como fonte o jornal britânico The Guardian.  A matéria relata a demolição da igreja Golden Lampstand, em Linfen, cidade localizada na província de Shanxi.

Já em 13 de janeiro de 2018, matéria do portal de notícias G1, relata a demolição da mesma igreja. A notícia tem como fonte a agência internacional de notícias France-Presse (AFP). 

Os sites CPAD News, Melodia News, Pleno News e o blog Terça-livre também publicam com frequência notícias dessa revista. 

Entre abril e maio, Bereia já checou as seguintes notícias, publicadas por Bitter Winter e republicadas em sites religiosos: É imprecisa a notícia sobre demissão de professores cristãos na China e são imprecisas as notícias sobre proibição de cultos online na China. Nesta última, Bereia entrevistou um jovem cristão brasileiro que faz mestrado em uma universidade chinesa.

O jovem que preferiu não ser identificado explica: “Eu acho que esse tipo de entrevista [da Bitter Winter] ofusca o bom testemunho que realmente pode levar o governo a entender o quão importante é a igreja na hora de crise social”, e ainda afirma: “Eu penso que nem os cristãos ocidentais nem os seus governos vão conseguir “livrar” os cristãos chineses do sistema de governo chinês. Nem por decreto, nem por convencimento. O governo chinês, apesar das leis, tem dado espaço sim para igrejas. De verdade. Eles têm feito vários experimentos para ver o que dá certo e o que não dá. Essas notícias, às vezes, acabam mais atrapalhando esse relacionamento sensível da igreja com o estado, mesmo sem saber”.

Bereia conclui que a matéria do Gospel Mais com informações do Bitter Winter é imprecisa, pois não cita dados suficientes para que o leitor possa comprovar a informação, “recicla” fatos ocorridos no passado como se fossem atuais, além de enganar ao sugerir na manchete que as informações seriam de um relatório. 

***

Referências de Checagem: 

São imprecisas as notícias sobre proibição de cultos online na China. Coletivo Bereia. Consulta em 09/06/12. Disponível em:  https://coletivobereia.com.br/sao-imprecisas-as-noticias-sobre-proibicao-de-cultos-online-na-china/

 É imprecisa a notícia sobre demissão de professores cristãos na China. Coletivo Bereia. Consulta em 06.06.2020. Disponível em:  https://coletivobereia.com.br/e-imprecisa-a-noticia-sobre-demissao-de-professores-cristaos-na-china/

China faz demolição de igrejas à medida que o cristianismo avança. Gospel Mais. Consulta em: 06/06/ 20. Disponível em:  https://noticias.gospelmais.com.br/china-demolicao-igrejas-cristianismo-avanca-136025.html

Veja. Demolição de igreja na China causa temor de perseguição religiosa. Consulta em 06.06.2020. Disponível em:  https://veja.abril.com.br/mundo/demolicao-de-igreja-na-china-causa-temor-de-perseguicao-religiosa/

O Globo. Autoridades chinesas derrubam igreja evangélica. Consulta em 06.06.2020. Disponível em:  https://g1.globo.com/mundo/noticia/autoridades-chinesas-derrubam-igreja-evangelica.ghtml

Barnabas Fund. Chinese authorities demolish house church building as “more and more believe in Christianity”. Consulta em 06.06.2020. Disponível em:  https://news.barnabasfund.org/Chinese-authorities-demolish-house-church-building-as–more-and-more-believe-in-Christianity/index.html

Bitter Wintter. House Church Venues Closed, Demolished in Jiangxi Province. Consulta em 06.06.2020. Disponível em: https://bitterwinter.org/house-church-venues-closed-demolished-in-jiangxi-province/