Pesquisa alerta que sete em cada dez brasileiros acreditam em fake news sobre Covid-19

Publicado originalmente no site Coletiva.net, em 14/05/2020

A organização de pesquisa e petições online Avaaz divulgou um levantamento sobre as fake news durante a pandemia de Covid-19. Conforme o estudo, sete em cada 10 brasileiros acreditam em notícias falsas relacionadas ao novo coronavírus. O índice representa cerca de 110 milhões de pessoas. 

Ainda segundo o estudo, o WhatsApp é o principal vetor de desinformação. Já o Facebook aparece em segundo lugar no ranking, com cinco entre 10 internautas do País recebendo e repassando conteúdos mentirosos. 

A coordenadora de campanhas da Avaaz, Laura Moraes, salientou o risco que esses dados demonstram. “Mais preocupante ainda é que 110 milhões de brasileiros acreditam em ao menos uma notícia falsa que afeta as decisões que as pessoas tomam para se proteger. Isso pode levar cada indivíduo a contagiar centenas de pessoas com o coronavírus, anulando os esforços de médicos e do poder público”, explicou ela.

Comparado aos Estados Unidos e à Itália, o problema das fake news é maior no Brasil, de acordo com a pesquisa. Enquanto 73% dos brasileiros já acreditaram informação falsa, entre os norte-americanos o índice cai para 65%, e para 59% entre os italianos.

A notícia boa é que 80% dos entrevistados pela Avaaz responderam que gostariam de ver informações de correção feitas por agências verificadoras de fatos. No entanto, 57% afirmam que nunca viram as retificações ou algum alerta de conteúdo falso em plataformas digitais.