Bereia

É falso que deputado do Espírito Santo propôs cota para evangélicos em concursos

[elementor-template id=”983″]

Voltou a circular nas mídias sociais a informação de que um deputado estadual do Espírito Santo chamado Rogério Medina, do PMDB, teria apresentado projeto de lei reservando 10% das vagas em concursos do estado para evangélicos. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa:

Foto: Chris Young

“Deputado do Espírito Santo propõe cota para evangélicos em concursos”
Texto publicado pelo site Umbanda 24 Horas que, até as 16h30 do dia 4 de dezembro de 2019, tinha sido compartilhado por mais de 12 mil pessoas no Facebook.

A informação analisada pela Lupa é falsa. Não é possível encontrar nenhum projeto reservando vagas em concursos públicos para evangélicos no site da Assembleia Legislativa do Espírito Santo. 

Além disso, o texto diz que a matéria foi proposta por um deputado chamado Rogério Medina, do PMDB. Contudo, não há nenhum deputado estadual com esse nome exercendo mandato atualmente na Assembleia capixaba. 

Segundo as informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nenhuma pessoa com o sobrenome Medina se candidatou ao cargo de deputado estadual do Espírito Santo em 20102014 ou 2018. Ou seja, é impossível que alguém com o nome de Rogério Medina tenha assumido este cargo, mesmo que temporariamente na condição de suplente, desde 2011. O nome também não aparece na relação de filiados do MDB do Espírito Santo.

pessoa que aparece na foto utilizada para ilustrar o conteúdo analisado pela Lupa é Doug Ford, atual primeiro-ministro da província de Ontario, no Canadá. Na época que a foto foi tirada, ele era conselheiro da cidade de Toronto, cargo equivalente ao de vereador. A imagem é creditada a Chris Young, da agência de notícias The Canadian Press.

Essa desinformação começou a circular em novembro 2013, e foi publicada originalmente de forma satírica pelo site de humor Bobagento. De lá para cá, outros sites copiaram esse conteúdo e passaram a compartilhar como se fosse verdade. Em fevereiro de 2014, os sites E-Farsas e Boatos.org verificaram essa informação.

Apesar disso, uma versão desta notícia falsa, publicada pelo site Umbanda 24 Horas em 2015, continua sendo compartilhada atualmente. A página deste site no Facebook costuma republicar este mesmo conteúdo falso periodicamente. Segundo a ferramenta Crowdtangle, em 2019, isso aconteceu em quatro ocasiões: em 17 de março, em 8 de julhoem 6 de setembro e, agora, no dia 1º de dezembro.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook

Editado por: Nathália Afonso /Agência Lupa

Sair da versão mobile